Home  /  Blog   /  O que é acessibilidade digital e como produzir um conteúdo inclusivo?

O que é acessibilidade digital e como produzir um conteúdo inclusivo?

Você já parou para pensar em como as pessoas com deficiência (PcD), idosos ou autistas consomem as mesmas informações que você? Pegar o celular, abrir uma guia do navegador, digitar no campo de pesquisa, buscar imagens, assistir um vídeo, clicar em links… Essas são apenas algumas das ações feitas com muita frequência por quem acessa à internet, mas podem ser muito complicadas para uma das milhões de pessoas com deficiência no Brasil. Neste artigo vamos conversar sobre como produzir conteúdo com acessibilidade digital para os diferentes públicos.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE 2010), 6,7% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. Entre eles estão pessoas com deficiência visual, auditiva, intelectual ou física.

Enquanto isso, o número de idosos no Brasil não para de crescer. Já são mais de 30,2 milhões de pessoas com mais de 60 anos no país. Estimativas apontam que, neste ritmo, em 2030 teremos a quinta maior população idosa do mundo. 

Como você ou sua marca estão se preparando para atender e oferecer conteúdo  de qualidade para esta parcela da população?

Elementos como tipografia, narração de texto, legenda e audiodescrição em vídeos, contraste e descrição em imagens são fáceis de serem aplicadas e geram grande impacto no consumo de conteúdo por quem tem alguma necessidade especial.

O que é acessibilidade digital?

Acessibilidade digital é “a possibilidade e a condição de alcance, percepção, entendimento e interação para a utilização, a participação e a contribuição, em igualdade de oportunidades, com segurança e autonomia, em sítios e serviços disponíveis na web, por qualquer indivíduo, independentemente de sua capacidade motora, visual, auditiva, intelectual, cultural ou social, a qualquer momento, em qualquer local e em qualquer ambiente físico ou computacional e a partir de qualquer dispositivo de acesso”.

Esse conceito é definido pelo Consórcio World Wide Web Brasil, uma associação internacional que desenvolve padrões globais para a internet. Inclusive, o site da W3C Brasil disponibiliza cartilhas e estudos sobre a aplicação e importância da padronização de conteúdo no universo Web e outras tecnologias assistivas.

Para incentivar a implementação desses recursos na internet, a Lei Brasileira de Inclusão (Lei nº 13.146) foi sancionada em 2015. O artigo 63 determina que todos os  sites “mantidos por empresas com sede ou representação comercial no País ou por órgãos de governo” devem ser acessíveis “para uso da pessoa com deficiência, garantindo-lhe acesso às informações disponíveis, conforme as melhores práticas e diretrizes de acessibilidade adotadas internacionalmente”. Dessa você não sabia, hein?

3 dicas para aplicar a acessibilidade digital no seu conteúdo 

Agora que entendemos o que é acessibilidade digital, sabemos a demanda, necessidades e incentivos para produzir e oferecer conteúdo web com acessibilidade, vamos conhecer o que podemos fazer para promover a inclusão digital às pessoas com alguma deficiência. As dicas a seguir ajudam a elaborar conteúdos que funcionam para todos, independente da necessidade de acesso.

1. Texto e Imagem

Ao publicar conteúdo em redes sociais como o Facebook, Instagram, Twitter ou LinkedIn, é importante pensar em todas as pessoas, inclusive as que dependem de aplicativos de leitura de tela. Esses apps leem quase tudo o que aparece na tela do celular, exceto imagens.

Por isso, além da criatividade na arte ou legenda dos posts, vale incluir as hashtags #PraCegoVer ou #PraTodosVerem seguidas da descrição da imagem. Aqui é importante ter objetividade e não repetir informações que já estão no texto legenda. Detalhes como cor, formas, ordem de leitura, características de pessoas e o texto escrito na arte são importantíssimos para a compreensão. Atenção especial quando a imagem for uma tabela, ilustração ou gráfico.

O nome do arquivo de imagem também deve ser editado. Escreva com letra minúscula e hífen na separação das palavras. A legenda pode incluir a palavra-chave e descrição mais detalhada da foto. Essa prática beneficia o SEO e a leitura do conteúdo.


Outra dica é dar preferência às frases curtas e escrever os textos, para legendas ou artigos de blog, usando a ordem direta: sujeito + verbo + complemento. A regra básica do jornalismo facilita a compreensão de pessoas com deficiências intelectuais ou cognitivas. 

O tamanho de uma fonte também merece atenção na produção de conteúdos digitais. Desenvolva o HTML do seu site com propriedades de estilização de fontes, permitindo a fácil leitura das informações. Dê preferência às fontes do tipo display, que não contém serifa.

2. Animações e vídeos

Se o seu conteúdo for em vídeo, vale incluir audiodescrição, legendas com contraste e libras para que mais pessoas possam consumir o que você produz. É possível deixar a opção de personalizar o contraste entre o plano de fundo e o vídeo.

3. Ícones, links e CTAs

O call-to-action é essencial para o marketing digital. Então, faça adaptações para que todos os públicos possam perceber o convite à ação. Use botões descritivos, por exemplo, “Preencher formulário” é mais acessível que um botão vago escrito “Clique Aqui”. 

A recomendação vale para os links e títulos. Quanto mais detalhada e específica for a informação, melhor. As cores também são importantes. Procure utilizar cores simples  e que garantam bom contraste. 

Onde se informar sobre acessibilidade digital?

Existe um universo à ser explorado na hora de produzir conteúdo com acessibilidade, com diversas outras medidas que podem ser aplicadas para melhorar a experiência de usuários nos ambientes digitais. 

Conheça dois projetos para acompanhar e manter-se informado sobre acessibilidade digital:

Blog do Hugo

Hugo é o intérprete virtual da Hand Talk, empresa brasileira que oferece tradução automática e digital para a Língua Brasileira de Sinais. No blog, o simpático personagem em 3D aborda temas relacionados à comunidade surda e a importância da acessibilidade, além de legislação, dicas e cases de empresas que utilizam o Hugo como intérprete. O endereço do blog é:  http://blog.handtalk.me/

Movimento Web Para todos 

O Movimento Web Para Todos é a união de organizações, desenvolvedores e  pessoas com deficiência com o objetivo de impactar e conscientizar toda a sociedade sobre a necessidade de produzir conteúdo acessível, respeitando às necessidades de cada pessoa. O MWPT está ligado ao World Wide Web Consortium Brasil, citado ali em cima. No site é possível encontrar conteúdos educacionais,  material para mobilização e ferramentas de transformação. Acesse: https://mwpt.com.br/

Compartilhe este artigo com outros profissionais de publicidade e conheça outras siglas do marketing digital

Vote nesta postagem!